Caixinhas de surpresas

Lucio Brancato* foi comprar pratos e talheres. Encontrou discos

Se tem algo que eu não consigo é passar imune por uma pilha de LPs em algum sebo especializado ou em qualquer lugar esquecido num canto de alguma loja. Essas aventuras em alguns garimpos já renderam belas pepitas para minha discoteca. Um bom garimpeiro conta também com uma boa dose de sorte para encontrar suas preciosidades.

Foi o que aconteceu comigo no começo dos anos 2000. Recém saindo da casa dos pais e tentando montar meu apartamento, descobri que não adiantava ter apenas um toca-discos e uma pilha de LPs pela sala. Era preciso também um armário na cozinha para guardar outros pratos e bolachas. Foi então que me aventurei pelos briques de móveis da Avenida João Pessoa, em Porto Alegre.

Logo na primeira investida, vejo uma pilha de discos jogada no fundo de um armário. E, claro, antes de observar os armários para minha cozinha, me joguei na pilha empoeirada de discos. Para minha surpresa, entre discos de bolero e alguns velhos 78 rpm, três “box-sets” pretos saltaram aos meus olhos. Era a coleção (quase) completa da série “Gigantes do Jazz” que foi lançada no Brasil na década de 1980 pela Editora Abril.

Nunca foram discos raros, difíceis de achar. Até hoje é possível encontrar os fascículos separados em tudo quanto é lugar. Porém, todos reunidos e nas suas “caixas” originais, eu nunca tinha encontrado. É uma excelente coleção de jazz, trazendo grandes nomes em fascículos que trazem além do LP uma biografia e uma rica seleção de fotos.

Ao mesmo tempo que apresenta nomes mais conhecidos como Louis Armstrong, Miles Davis, Billie Holiday…, a coleção apresenta ainda Art Tatum, Jelly Roll Morton e Bix Beiderbecke. Ao todo, a série contempla 32 nomes do jazz de diferentes períodos. Eu consegui três dessas quatro caixas.

Não recordo agora o valor que paguei, mas com certeza foi simbólico, já que estavam ali para qualquer negócio no meio de uma loja de móveis. Já em relação ao real motivo da minha ida ao estabelecimento, tudo mudou. Saí de lá faceiro com meus discos. Mas os pratos, talheres e demais utensílios domésticos permaneceram por mais alguns meses em caixas, enquanto eu ainda me divertia ouvindo os Gigantes do Jazz.

Lucio Brancato é do rock, apresenta o “Cultura na Mesa” e o “Cultura Rock Show”, pela FM Cultura 107.7, mas também sabe muito de jazz

Anúncios

Nenhum pensamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s