Em órbita com Clark Terry e Thelonious Monk

Roberto Muggiati e mais uma pílula do Dr. Jazz que leva a uma viagem no túnel do tempo

Para ser lido ao som de In Orbit, com Clark Terry 

Muggiati não para. Essa pílula ele me passou noites atrás recuperando não apenas um grande disco de um grande trompetista mas também histórias que misturam personagens do jazz, fotos antológicas, guerra fria, corrida espacial e – por que não? – os beats, os beatniks, os beats + Sputnik. Vai lá:

Márcio
Ouça como soa nova esta gravação que Monk fez três meses antes de posar para a foto de Art Kane há 60 anos. Humildemente, ele foi sideman de Clark Terry, que assina o álbum 
In Orbit, estreando no flugelhorn; foi a estreia do baixista Sam Jones na Riverside e o baterista – dá para sentir em cada toque – é o genial Philly Joe Jones. A limpeza de som, a clareza de ideias, o jogo dos timbres, a variedade do repertório – enfim, há muito tempo deixaram de fazer coisas assim. Tudo gravado direto sem remorsos e repetições, os músicos já chegaram ao estúdio com os  temas prontos na cabeça e – como diz meu amigo e professor Mauro Senise – “debaixo dos dedos.”
In Orbit? Sim, o Sputnik foi aos ares meses antes em outubro de 1957.
Abraço
Muggiati

Clark Terry no festival de jazz de Monterey de 1981 (Foto: Brianmcmillen/CC BY-SA 3.0/Wikimedia Commons)
Clark Terry no festival de jazz de Monterey de 1981 (Foto: Brianmcmillen/CC BY-SA 3.0/Wikimedia Commons)
Anúncios

Autor: Márcio Pinheiro

Jornalista, roteirista, produtor cultural

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s