Conexão Índia

Lucio Brancato* explica como John McLaughlin teve como maior mérito a derrubada das barreiras existentes entre as músicas do Sul e do Norte do país

Para ser lido ao som de John McLaughlin & Shakti – Live in Montreux 1976
Elementos naturais: John McLaughlin foi um dos poucos instrumentistas capazes de unir diferentes culturas (Foto: Ali-Khan/CC BY-SA 3.0/Wikimedia Commons)
Elementos naturais: John McLaughlin foi um dos poucos instrumentistas capazes de unir diferentes culturas (Foto: Ali-Khan/CC BY-SA 3.0/Wikimedia Commons)

O que fez de John McLaughlin um dos guitarristas mais completos da sua geração foi sem dúvida a sua capacidade de criar um diálogo universal através da música. Poucos instrumentistas foram capazes de unir diferentes culturas. Ao mesmo tempo que respeitava características próprias de cada etnia musical, ele sempre incorporou sua leitura trazendo novos elementos criando paisagens únicas numa nova visão musical.

Depois de explorar ao limite o que hoje conhecemos como jazz-rock e com Miles Davis colocar de vez o jazz na tomada, McLaughlin, com sua Mahavishnu Orchestra, trouxe mais veneno criando pontes ainda não exploradas num primeiro flerte com escalas musicais vindas do oriente. Este contato com a escola musical do oriente, principalmente da música indiana, foi fundamental para um próximo passo que foi muito além de uma conexão entre Ocidente e Oriente.

Desde o começo dos anos setenta McLaughlin se aprofundou nos estudos da música clássica indiana aprendendo a tocar veena (instrumento de cordas ancestral da cítara) e estudando a leitura musical indiana. Enquanto no ocidente conhecemos o Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si, na índia temos o Sa Re Ga Ma Pa Dha Ni Sa onde o Sa nem sempre é o Dó podendo variar de tom, o que torna a compreensão ainda mais complexa.

E foi em 1975 que a coisa ficou séria. Abandonando momentaneamente a guitarra elétrica, McLaughlin investe tudo na música acústica criando um verdadeiro Ensemble Indiano. Com L. Shankar no violino, Zakir Hussain nas tablas, Thetakudi Harihara no ghatam e Rammad Raghavan no mridagam, John McLaughlin chegou a criar junto com um luthier um violão especial para chegar mais próximo do som de uma cítara ou de uma veena. Além das tradicionais seis cordas do violão, foram colocadas mais sete cordas no corpo do instrumento passando por baixo das seis simulando as “cordas simpáticas” existentes nos instrumentos indianos que ficam ressoando de acordo com a afinação. Outra alteração significativa foi no braço do violão. Ele é côncavo deixando os trastes salientes possibilitando o alcance de tons e micro tons impossíveis de alcançar num braço tradicional. Com esta formação lançou três álbuns: Shakti (1975), A Handful of Beauty (1976) e Natural Elements (1977).

O impacto destes registros superam a óbvia analogia de um encontro entre Ocidente e Oriente. A música indiana tem uma divisão musical/cultural entre Norte e Sul. No Norte ela é conhecida como Hindustani. Tem como uma de suas características o uso de cítaras e tablas e uma divisão rítmica mais próxima do que existe na música clássica ocidental. Com seus movimentos lentos de introdução, acelerado na sequência e voltando ao movimento lento do início. Já a música do Sul da Índia é conhecida como Carnatic. É mais característico o uso da voz como instrumento e muita percussão como os ghatam (espécie de vasos de ceramica ou barro). A divisão rítmica é muito mais linear e sempre mais acelerada. É neste ponto que o diferencial do conjunto supera a linha Oriente-Ocidente. Segundo o próprio Zakir Hussain (um dos maiores mestres das tablas e da música Hindustani) o maior mérito do John Mclaughlin foi derrubar a barreira existente entre o Sul e o Norte da Índia. Até então esta linha cultural imaginária não havia ainda sido transposta pelos músicos locais. Coube a um inglês de Yorkshire mostrar que isso era possível abrindo de vez qualquer fronteira cultural existente de norte a sul, de leste a oeste.

* Lucio Brancato é roqueiro, jornalista e conselheiro da AmaJazz

http://www.youtube.com/watch?v=VnW2g6qbbrA

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s