Flicks & Licks

Roberto Muggiati explica como nasce um standard

Você sabe quando e onde os grandes jazz standards nasceram em filmes? Um ótimo exemplo é Les Feuilles Mortes, que surgiu na moita em 1946 num filme de Marcel Carné, As Portas da Noite (Les Portes de la Nuit), tocado para Yves Montand num bistrô de Paris por um misterioso gaitista (o Destino?)

Música do húngaro naturalizado francês Joseph Kosma, letra do grande poeta francês Jacques Prévert. Foi gravado pela primeira vez nos Estados Unidos como Autumn Leaves em 1950 pela cantora Jo Stafford, com uma letra poética à altura do original feita por Johnny Mercer. (Mercer era sócio da gravadora Capitol e levou-a para a gravadora.) Rapidamente Autumn Leaves se tornou um dos grandes favoritos dos jazzistas, hoje chega a mais de mil gravações. Na minha opinião, uma das melhores versões é a do álbum do saxofonista Cannonbal Adderley para a Blue Note com a participação premiada de Miles Davis. 

Autumn Leaves ocupa o 11º lugar no ranking do site JazzStandards.com.

PS: No jargão dos neo-hipsters: FLICKS = FILMES. No jargão do new jazz LICKS = IMPROVISOS MANEIROS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.