Jazz em tela

Roberto Muggiati disseca um exemplo de como jazz e cinema sempre fizeram uma grande parceria

Pensei em usar este espaço para contar a origem de um dos maiores standards do jazz. Começo com I’ll Remember April, de 1942, que toca já em 1944 na abertura do clássico noir Phantom Lady.

Em outro noir famoso, Criss Cross, de 1949, Yvonne De Carlo entra numa DR com Burt Lancaster enquanto dedilha tranquilamente ao piano I’ll Remember April.

Centenas de gravações de I’ll Remember April foram feitas aos longos destes quase 80 anos por jazzistas. Uma das notáveis é a de 1956, com o quinteto de Clifford Brown e Max Roach – quatro meses antes da morte do trompetista e do pianista desta gravação num acidente de carro.

Pois bem, I’ll Remember April foi introduzida na trilha de um filme caipira da dupla Abbott e Costello, Ride ‘em Rough, numa versão bastante “corny”. Ouçam só cantada no filme por Dick Foran:

Na versão sofisticada do quinteto de George Shearing em 1949:

E na famosa versão de Erroll Garner em Concert by the Sea:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.