Só tinha de ser com você

Roberta Amaral escreve sobre a homenagem que Tom Jobim receberá do neto Daniel no show no Theatro São Pedro

Para ser lido ao som de Daniel Jobim em Águas de Março

“Quando o dia está bonito, ainda a gente se distrai, mas que triste de repente quando o véu da noite cai”. O segundo refrão de Chora Coração, do disco Antonio Brasileiro, lançado três dias depois da morte de Tom Jobim, em 8 de dezembro de 1994, de certa forma, define a partida inesperada do compositor. Uma morte difícil de aceitar tamanha presença de sua obra nas mais variadas manifestações artísticas no Brasil e exterior. Por causa dela, ele ainda é o músico brasileiro de maior sucesso no mundo.

Tom Jobim conquistou absolutamente tudo o que um compositor poderia sonhar: o respeito pela obra e a consagração. Projetou a música popular brasileira e abriu novos espaços, seduzindo com seu som nomes como Jon Hendricks, Stan Getz, Ella Fitzgerald, Ron Carter, Joe Henderson, Herbie Hancock e Frank Sinatra. Como disse Nelson Mota, “uma só música de Tom já bastaria para consagrar qualquer compositor”.

Para lembrar os 25 de anos em que o mundo perdeu Tom Jobim, o neto Daniel Jobim estará no palco do Theatro São Pedro, no dia 3 de outubro, apresentando alguns clássicos como Samba de uma Nota SóÁgua de BeberBonitaPassarimWave e Meditação. “Sei do peso que tem nesta história, mas não sinto a pressão”, confessa Daniel.

Além da homenagem, será um momento de Porto Alegre conhecer o artista, que já tem uma carreira consagrada no exterior. Tudo impressiona em Daniel. Além do talento ao piano, ele tem a voz da bossa nova. Daniel Jobim cresceu nas coxias de grandes teatros e a paixão pela música vem de berço. Com apenas 10 anos começou a tirar as músicas de Tom no piano e exercitava as canções diariamente. Algumas vezes o avô questionava e o estimulava a praticar com outras canções, de outros compositores, mas o neto gostava mesmo era do trabalho do avô. Não por acaso, seu repertório hoje é formado, em grande parte, pelas músicas do Maestro Soberano.

A maior influência na formação musical também vem do pai Paulo Jobim. “Assim que comecei a tirar músicas no piano, ele rapidamente me colocou para tomar aulas. Ficava ansioso com os sintetizadores, as trocas de timbres”, afirma músico que, pouco depois, já tocava graças às aulas com Evandro Ribeiro Rosa: “A técnica e a linha dele eram a mesma de Lúcia Branco, professora do meu avô, com quem o Evandro também estudou”.

Em casa, as aulas eram bem mais pegadas com o professor Tom. “Era Brahms, Chopin e Debussy todo dia”, recorda. Como ele acordava muito cedo, sempre aparecia para tocar com o neto trazendo partituras, como as das mazurcas de Chopin.

Outra semelhança com Tom é a paixão pelo cinema, e Daniel teve o prazer de trabalhar em trilhas com o avô e o pai. “Meu avô fez várias músicas para filmes, e numa delas me chamou para ajudar a compor. A gente gravava e, no dia seguinte, tinha que fazer tudo de novo porque ele mudava. Dia após dia a mesma coisa: ele vinha todo sem graça e falava ‘eu mexi um pouco na canção’”, relembra.

A natureza foi um tema recorrente na trajetória de maestro em músicas como WaveChovendo na RoseiraO BotoCorrentezaPassarim e Águas de Março. Para Tom, “música é o canto do passarinho melhorado, computadorizado, arranjado”.

João Donato define a música de Jobim como a tradução do “frescor da manhã”. Segundo ele, havia uma relação automática entre a natureza e a criação melódica em sua obra. Também um dos grandes nomes da Bossa Nova, Roberto Menescal afirma que o “frescor da manhã” tinha a ver com o período do dia em que Tom costumava criar. “Pouca gente sabe disso, mas o Tom acordava antes das 7h, descia para comprar no Jardim Botânico, subia para tomar o café, depois compunha até às 11h e voltava a dormir. Acordava às 15h e ia para o ‘escritório’, como ele chamava seu bar preferido no Leblon”.

No palco do São Pedro, o mesmo que Tom Jobim se apresentou uma única vez, em 1986, estará a alma do maestro. Seu neto promete emocionar a plateia. “Dizem que o grande artista faz sempre o mesmo show. E Tom falou para a gente continuar tocando suas músicas.” Assim será.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.