Blue sea, blue sky, blue notes

Daisson Flach*, correspondente internacional da AmaJazz, começa seu cruzeiro jazzístico ao lado de Wynton Marsalis, David Sanborn, Marcus Miller… e nós vamos viajar junto.

Para ser lido ao som de David Sanborn, Eric Marienthal e Wycliffe Gordon em Basin Street Blues 

Já estou preparado: camisa floreada, chapéu Panamá, máquina fotográfica, um charuto numa mão, um drinque na outra. Entrando num gigantesco festival de jazz. O visual é quase fake, exagerado, mas a proposta musical é verdadeira. Pelos próximos dias farei parte de um evento patrocinado pela Blue Note Jazz Clubs e pela Blue Note Records, em parceria com a Entertainment Cruise Productions. É a terceira edição do Blue Note at Sea, um cruzeiro que, partindo da Flórida, navegará uma semana  pelo mar do Caribe, passando por Nassau, Riviera Maia, Key West e Cozumel. Serei eu e mais 1999 passageiros que teremos contato com o melhor do jazz contemporâneo, em múltiplos palcos, da manhã à madrugada. E os leitores da AmaJazz estarão ao meu lado, acompanhando tudo.

Foto: CC BY-SA 2.0/Wikimedia Commons
Marcus Miller é o organizador do festival.
(Foto: CC BY-SA 2.0/Wikimedia Commons)

–  Pô, Marcus Miller, olha por onde anda!  Ah, e avisa o Wynton Marsalis que aqui não é lugar para andar de gravatinha. A Lincoln Center Orchestra pode tocar de bermudas. It’s Caribe, for God’s sake! Aproveita e dá meus parabéns ao David Sanborn. E ele vai fazer aquelas entrevistas sensacionais?  Aquele barbudo descabeladão de chapéu e óculos escuros não é o Don Was, presidente da Blue Note?

É isso aí. Esse será meu cotidiano pelo próximo dias, tombadilhando pelo Caribe e sendo testemunha do jazz de hoje e de amanhã representado pelo casting da Blue Note, com as mais diversas sonoridades que o selo abarca e a tradição de estar sempre na proa do que de mais relevante acontece.  A bordo, dezenas de artistas apresentando seus trabalhos, participando de jam sessions e interagindo com o público em um cenário mais do que privilegiado. Estarão por lá o trompete do Terence Blanchard, o sax quente da louríssima Candy Dulfer (ou seria o sax loiro da quentíssima…) e mais Wynton Marsalis e a Orquestra do Lincoln Center, Robert Glasper, Jason Moran, Cécile McLoren Salvant, David Sanborn, Christian Scott, Eric Marienthal, Kandace Springs, Jose James e dezenas de outros, sob a curadoria de Marcus Miller e a supervisão entusiasmada de Don Was.

Embarque nessa viagem. Ponha seus óculos escuros,  sirva seu drinque e vamos nessa!

*Daisson Flach é advogado e professor de direito mas – principalmente – jazzista e pianista, fã de Keith Jarrett, Chick Corea e Herbie Hancock

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.