Pérola negra

Compositor, cantor e instrumentista, Roberto Guima foi a confluência de duas linhagens: a do samba-jazz com a do funk brasileiro

Para ser lido ao som de Geisa, de Roberto Guima
Ilustração: Daniel Kondo
Ilustração: Daniel Kondo

Elo perdido entre a música negra surgida nos subúrbios do Rio de Janeiro no começo dos anos 70 e o samba-funk-soul da era pós-Banda Black Rio, o músico Roberto Guima poderia ter se tornado uma referência para a leva de jovens músicos como um capítulo único da música negra (com forte influência norte-americana) feita no Brasil. Isso acabou não se confirmando e o epílogo foi dos mais tristes: Guima morreu afogado em Arraial do cabo, em 9 de março de 1981. Tinha 21 anos de idade.

Na época ainda era um nome conhecido apenas nas “internas”, com algumas participações nas bandas de Gilberto Gil e João de Aquino e sem nenhum disco gravado. O único registro fonográfico de Guima foi lançado postumamente, com metade do material compilada a partir de uma demo que havia sido feita por Guima e entregue ao produtor Chico Neves. O disco foi colocado no mercado, vendeu pouco, saiu de circulação, e só foi virar CD mais de 20 anos depois.

Guima também não consta e nenhuma enciclopédia musical e mesmo no livro de memórias do jornalista, escritor e produtor musical Nelson Motta, autor do texto do encarte do disco, o músico não recebe nenhuma citação. “Não lembro ao certo quando conheci o Roberto Guima – gastei toda a minha memória em Noites Tropicais – mas lembro que fiquei muito impressionado”, me contou Nelson Motta numa conversa em 2001. Embora não precise as datas e os locais, Nelson Motta dá algumas pistas: “O Guima chegou a integrar uma das formações da Banda Black Rio, que na época se apresentou durante quase um ano na Noites Cariocas (boate de Nelson Motta no Morro da Urca)  mas não sei se já não havia visto ele durante a turnê do Gil com o Jimmy Cliff ou na abertura de um show do João de Aquino”.

Antes de Nelson Motta, Guima havia sido “descoberto” pelo saxofonista Paulo Moura. “Em 1980, um amigo me falou dele na Escola Nacional de Música. Perguntei se queria nos acompanhar – na época eu fazia arranjos para a Rio Jazz Orchestra –, ele aceitou e mandou ver no blues”, recordou Paulo Moura, também em 2001. “Não posso me considerar professor dele. Apenas dei algumas instruções.Todo o resto ele já sabia”. Musicalmente, Guima nasceu quase junto com a Banda Black Rio – “Ele tinha aquela elegância dos grandes instrumentistas, igual ao Oberdan Magalhães”, diz Nelson Motta – e dentro deste mimetismo rítmico soube também incorporar Gilberto Gil (de Refavela) e Caetano (da fase Odara). “Caetano, muito mais do que Gil, foi influenciado e também se apresentou durante muito tempo no Noites Cariocas com o Bicho Baile Show”, completa Motta.

Compositor, cantor e instrumentista (tocava saxofone, piano, violão e, principalmente, clarinete), Guima foi a confluência de duas linhagens. Uma começa no funk brasileiro inspirado em Stevie Wonder, Marvin Gaye e James Brown e que foi traduzida por Tim Maia, Toni Tornado, Dom Salvador, Cassiano e Gerson King Combo, além dos bailes promovidos por Big Boy e Messiê Limá. A outra vem da estirpe instrumental, influenciada por John Coltrane e Miles Davis e que passa por Raul de Souza, Oberdan Magalhães, Moacir Santos, Serginho do Trombone e Paulo Moura. Tangenciam essas duas correntes dois outsiders que o influenciaram e se deixaram influenciar: Jorge Bem Jor e Luiz Melodia. Guima se preparava para colocar tudo isso no mesmo liquidificador – infelizmente, não teve tempo.

Anúncios

Autor: Márcio Pinheiro

Jornalista, roteirista, produtor cultural

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s